quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Continuum


Excel
 
Acabo de ler um excelente artigo cognitivista: o conhecimento não prescreve. Assim não, não desusa. Entre a cognição, autónoma às datas e aos reis, e a história do burro e da cenoura prefiro claramente a primeira. Só um acrescento: o "significado" tem sentimentos, ou de satisfação pessoal, por ter conseguido realizar uma tarefa relativamente complexa, por exemplo, ou de frustração, no caso da experiência ter corrido mal. Recuperar, é pois restabelecer caminhos afetivos.
 
***